ESTIMATIVA DO FATOR ERODIBILIDADE (K) DAS ASSOCIAÇÕES DE SOLOS DO ESTADO PIAUÍ DESCRITAS EM JACOMINE (1986)

Cláudia Maria Sabóia de Aquino, José Gerardo Beserra de Oliveira

Resumo


A erodibilidade dos solos (K) é o termo da Equação Universal da Perda de Solo que expressa a vulnerabilidade ou suscetibilidade do solo à erosão. Considerando a importância deste fator no desencadeamento do processo erosivo, o presente estudo objetivou estimar os valores de erodibilidade dos solos para as associações de solos do estado do Piauí. O método empregado para estimar os valores de erodibilidade dos solos foi o de Römkens et al. (1987, 1997). Os resultados indicam o maior valor de K em ton.ha.h/MJ.mm.ha para associação PE5 (grupo dos Argissolos) foi da ordem de 0,063 e o menor valor foi de 0, 010 para as associações AM (grupo dos organossolos) e R22 (grupo dos Neossolos Litólicos). A variação constatada nos valores de K ocorre tanto entre os diferentes grupos de associações de solos, como dentro de um mesmo grupo de associações. 0,7%, 43,9%, 50,6%, 4,2%, e 0,3%, da área apresentam respectivamente valores de erodibilidade nas classes baixa, média, alta, muito alta e extremamente alta. Há predomínio dos valores de K situados nas classes média e alta, perfazendo um total de 94,4% da área do Estado. Esta constatação exige atenção no tocante as formas de uso empreendidas no Estado, em especial na porção sudeste do Estado caracterizada por clima semiárido, vegetação de caatinga e práticas rudimentares de uso da terra, o que pode acelerar a erosão hídrica dos solos podendo conduzir a processos de desertificação com consequente comprometimento da qualidade de vida das populações.

 

 


Palavras-chave


Erodibilidade do solo (K); planejamento conservacionista do uso da terra; Erosão do solo pela água.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Equador, ISSN 2317-3491, Universidade Federal do Piauí.