COMPORTAMENTO HUMANO NA PRODUÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS: PERCEPÇÃO DOS DOCENTES DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Charline Barbosa Pires, Maurício Corrêa da Silva, José Dionísio Gomes da Silva

Resumo


A contabilidade comportamental estuda o impacto do comportamento humano na produção e interpretação das informações contábeis. A ideia norteadora é de que a produção das informações contábeis é influenciada por variáveis que podem afetar o comportamento dos contadores e contadoras. O objetivo desta pesquisa é investigar se na percepção dos docentes dos cursos de Ciências Contábeis as variáveis crenças e valores, emoção, excesso de confiança, estado de humor, pressão por prazos, aversão à perda e aversão ao arrependimento podem afetar o comportamento dos contadores e contadoras na produção das informações contábeis. A investigação foi instrumentalizada por intermédio de um questionário disponibilizado em sítio eletrônico com quesitos que tratam de aspectos comportamentais que podem afetar o comportamento dos indivíduos, de um modo geral, e dos contadores e contadoras, de forma específica. Foi obtida a participação de 273 docentes que atuam em instituições de ensino localizadas em 20 estados da federação e no Distrito Federal. Os resultados revelaram que na percepção dos docentes participantes da pesquisa, por diferenças estatísticas, os contadores e contadoras são capazes de reduzir os impactos das variáveis crenças e valores, emoção, excesso de confiança, estado de humor, pressão por prazos e aversão ao arrependimento por ocasião da produção das informações contábeis em relação às atividades gerais. A variável aversão à perda não apresentou significância estatística.


Palavras-chave


Docentes; Cursos de Ciências Contábeis; Variáveis Comportamentais; Percepção.

Texto completo:

PDF

Referências


ACKERT, L. F.; CHURCH, B. K.; DEAVES, R. Emotion and financial markets. Federal Reserve Bank of Atlanta Economic Review, v. 88, n. 2, 2003.

ANDRADE, J. J. Os valores e as motivações no processo de tomada de decisão dos produtores rurais no município de Sant’ana do Livramento (RS). 2010. 288 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural). – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2010.

AZAD, A. N. Time budget pressure and filtering of time practices in internal auditing. Managerial Auditing Journal, v. 9, n. 6, 1994.

BAMBER, E. M. Opportunities in Behavioral Accounting Research. Behavioral Research in Accounting, v. 5, 1993.

BARBER, M. B.; ODEAN, T. Boys will be boys: gender, overconfidence, and common stock investment. The Quarterly Journal of Economics, 2001.

BARROS, L. A. B. C.; SILVEIRA, A. D. M. Excesso de confiança, otimismo gerencial e os determinantes da estrutura de capital. Revista Brasileira de Finanças, v. 6, n. 3, 2008.

BHATTACHARJEE, S.; MORENO, K. K. The role of auditors’ emotions and moods on audit judgment: a research summary with suggested practice implications. Current Issues in Auditing, v. 7, n. 2, 2013.

BIRNBERG, J. G. A proposed framework for Behavioral Accounting Research. Behavioral Research in Accounting, v. 23, n. 1, 2011.

BIRNBERG, J. G.; SHIELDS, J. F. Three decades of behavioral accounting research: a search for order. Behavioral Research in Accounting, v. 1, 1989.

BRASIL. Ministério da Educação. Portal e-MEC. Brasília, DF, [2014?]. Disponível em: http://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 01 dez 2014a.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP. Censo da Educação Superior 2012: Resumo Técnico. Disponível em: . Acesso em: 01 dez. 2014b.

BRIAN, S.; DOUGLAS, P. Adaptive responses to time pressure: the effects of experience on tax information search behavior. Behavioral Research in Accounting, v. 9, 1997.

BUKSZAR, E. Does overconfidence lead to poor decisions? A comparison of decision making and judgment under uncertainty. Journal of Business and Management, v. 9, n. 1, 2003.

CHUNG, J. O. Y.; COHEN, J. R.; MONROE, G. S. The effect of moods on auditors’ inventory valuation decisions. Auditing: A Journal of Practice &Theory, v. 27, n. 2, 2008.

CIANCI; A. M.; BIERSTAKER, J. L. The impact of positive and negative mood on the hypothesis generation and ethical judgments of auditors. Auditing: A Journal of Practice & Theory, v. 28, n. 2, 2009.

CONTIJO, A. C.; MAIA, C. S. C. Tomada de decisão, do modelo racional ao comportamental: uma síntese teórica. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 11, n. 4, 2004.

DANCEY, C. P.; REIDY, J. Estatística sem matemática para psicologia usando SPSS para Windows. Tradução: Lorí Viali. Porto Alegre: Artmed, 2006.

EINHORN, H. J. J. A synthesis: accounting and behavioral science. Journal of Accounting Research, v. 14, 1976.

GIBBINS, M. Propositions about the psychology of professional judgment in public accounting. Journal of Accounting Research, v. 22, n. 1, 1984.

GUNDRY, L. C.; LIYANARACHCHIM, G. A. Time budget pressure, auditors' personality type, and the incidence of reduced audit quality practices. Pacific Accounting Review, v. 19, n. 2, 2007.

HAHN, M.; LAWSON, R.; LEE, Y. G. The effects of time pressure and information load on decision quality. Psychology and Marketing, v. 9, n. 5, 1992.

HAIR JR., J. F. et al. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Bookman, 2005.

HALFELD, M.; TORRES, F. Finanças Comportamentais: aplicações no contexto brasileiro. RAE – Revista de Administração de Empresas, v. 41, n. 2, 2001.

KUTLUK, F. A.; ERSOY, A. Literature Review of Behavioral Research in Accounting between 1999-2008. Journal of Yaşar University, 2010.

LERNER, J. S.; SMALL, D A.; LOEWENSTEIN G. Heart strings and purse strings carryover effects of emotions on economic decisions. Psychological Science, v. 15, n. 5, 2004.

LIMA, M. V. Um estudo sobre finanças comportamentais. RAE-eletrônica, v. 2, n. 1, 2003.

QUELOPANA, E. M. Conhecimento e decisão: um estudo sobre a relação entre o conhecimento e a qualidade da decisão. 2003. 141 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2003.

RAUPP, C. A. F. Método quantitativo com o uso de software. São Leopoldo: UNISINOS, 2013.

Report of The Commitee on the Relationship of Behavioral Science and Accounting. The Accounting Review, v. 49, n. 4, 1974.

SANTOS, J. O.; BARROS, C. A. S. O que determina a tomada de decisão financeira: razão ou emoção? RBGN – Revista Brasileira de Gestão e Finanças, v. 13, n. 38, 2001.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 2.ed. rev. Florianópolis: UFSC/PPGEP/LED, 2001.




DOI: https://doi.org/10.26694/2358.1735.2016.v3ed14084

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários