Ranking de Desempenho na Execução Orçamentária da Despesa em Funções de Governo em Municípios: Avaliação em um Único Índice (2002-2014)

Maurício Corrêa da Silva, Fábia Jaiany Viana de Souza, José Dionísio Gomes da Silva

Resumo


O objetivo desta investigação é avaliar o desempenho na execução orçamentária da despesa em funções de governo de competência dos gestores públicos dos 50 municípios mais populosos brasileiros no ano de 2013, a partir do IDFG (Índice de Desempenho de Funções de Governo) dos anos de 2002 a 2014, com a utilização da Análise de Componentes Principais (ACP), a fim de elaborar um único e estabelecer o ranking de desempenho. Foi utilizado o método de pesquisa empírico-analítico com o suporte das Teorias da Escolha Pública, Agência e da Medição. Os resultados evidenciaram com base no Índice de Desempenho de Funções de Governo único (2002 a 2014), que os municípios de São Bernardo do Campo (SP), seguido de Santos (SP) e São Paulo (SP) obtiveram as primeiras posições no ranking de desempenho na execução orçamentária da despesa em funções de governo (mais eficientes). Nas últimas posições (piores desempenhos) ficaram os municípios de Carapicuíba (SP), 48ª posição; Aparecida de Goiânia (GO), 49ª e na última posição (50ª), o município de São Gonçalo (RJ).


Palavras-chave


Avaliação de Desempenho; Execução Orçamentária; Índice; Métrica Quantitativa.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDREWS, C. W.; KOUZMIN, A. O discurso da nova administração. Lua Nova, São Paulo, 45, pp 97-129, 1998.

ARÁUJO, M.; SANCHEZ, O. A. A corrupção e os controles internos do Estado. Lua Nova, São Paulo, 65: p.137-173, 2005.

ARIAS, E. R. Estadística: Medición, Descripción e Inferencia. Perspectivas Psicológicas, Santo Domingo (Rep. Dom.), Volúmenes 6 y 7. Año X. 2010, 126-172, Edición Especial.

AYRES, M. Elementos de bioestatística: a seiva do açaizeiro. 2. ed. Belém: Supercores, 2012.

_____. AYRES JÚNIOR, M.; AYRES, D. L.; SANTOS, A. A. S.; AYRES, L. L. BioEstat 5.0 – Aplicações estatísticas nas áreas das ciências biomédicas. Belém, PA: Sociedade Civil Mamirauá, 2007. PA.

BASTOS, C. L.; KELLER, V. Aprendendo a aprender: introdução à metodologia científica. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Portaria nº 42, de 14 de abril de 1999. Atualiza a discriminação da despesa por funções de que tratam o inciso I do § 1º do art. 2º e § 2º do art. 8º, ambos da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964, estabelece os conceitos de função, subfunção, programa, projeto, atividade, operações especiais, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília-DF, 15 de abril de 1999.

_____. Tribunal de Contas da União - TCU. Técnicas de Auditoria: indicadores de desempenho e mapa de produtos. Boletim do Tribunal de Contas da União. Brasília-DF: TCU, Coordenadoria de Fiscalização e Controle, 2000, 32p.

BUCHANAN, J. M.; TULLOCK, G. The Calculus of Consent: Logical Foundations of Constitutional Democracy. Vol. 3. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1962.

COHEN, E.; FRANCO, R. Avaliação de projetos sociais. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. Tradução de Lorí Viali. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

HELDEN, G. J. V.; JOHNSEN, A; VAKKURI, J. Distinctive research patterns on public sector performance measurement of public administration and accounting disciplines. Public Management Review, 10:5, 641-65, 2008.

HILL, P. J. Public Choice: A Review. Faith & Economics - Number 34 - Fall 1999 - Pages 1–10.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, October 1976, V. 3, No. 4, pp. 305-360.

JOHNSON, R. A.; WICHERN, D. W. Applied Multivariate Statistical Analysis. 6. ed. New Jersey: Prentice Hall, 2007.

JOLLIFFE, I.T. Principal component analysis. 2nd. edition. New York: Springer-Verlag, 2002.

KAISER, H. F. The application of electronic computers to factor analysis. Educational and Psychological Measurement, v. 20, p. 141-151, 1960.

KUBRUSLY, L. S. Um procedimento para calcular índices a partir de uma base de dados multivariados. Pesquisa Operacional, Vol. 21, Nº. 1, p. 107-117, junho de 2001.

LARSON, R.; FARBER, B. Estatística aplicada. Tradução de Luciane Ferreira Paulete Vianna. 4. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

LATTIN, J.; CARROLL, J. D.; GREEN, P. E. Análise de dados multivariados. Tradução de Harue Avritscher. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

MANLY, B. J. F. Métodos estatísticos multivariados: uma introdução. Tradução de Sara Ianda Carmona. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

MANSO, J. R. P.; SIMÕES, N. M. Os municípios e a qualidade de vida em Portugal: proposta metodológica com vista à sua mensuração e ordenação. Observatório para o Desenvolvimento Econômico e Social. Universidade da Beira Interior, Covilhã - Portugal, 2007.

MARÔCCO, A. P. A avaliação de implementação de política de ciência, tecnologia e inovação à luz da teoria da agência. Jornal Eletrônico, Ano 1 – Edição I – Julho 2009, p. 1-37, Faculdades Integradas Vianna Júnior.

MARQUES, A. F. Aplicação da análise multivariada na infraestrutura e no desempenho das escolas públicas do Ensino Fundamental e Médio pertencentes ao Núcleo Regional de Educação de Paranavaí. Acta Scientiarum. Technology, Maringá, v. 32, n. 1, p. 75-81, 2010.

MARTINS, G. A. Estatística geral e aplicada. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

_____. Falando sobre teorias e modelos nas ciências contábeis. BBR – Brazilian Business Review, Vol. 2, nº 2, Vitória-ES, Brasil – Jul / Dez 2005, pp. 131-144.

_____. THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MATIAS-PEREIRA, J. Manual de metodologia da pesquisa Científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. 1ª reimpressão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

_____. SILVA, A. F. Um exemplo de aplicação de técnicas de estatística multivariada na construção de índices de preços. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 7, n. 2, p. 203-212, 1997.

OSBORNE, J. W.; COSTELLO, A. B. Sample size and subject to item ratio in principal components analysis. Practical Assessment, Research & Evaluation, 9 (11), 2004.

PEREIRA, P. T. A teoria da escolha pública (public choice): uma abordagem neoliberal? Análise Social, vol. xxxii (141),1997 (2.°), 419-442.

RIBAS, J. R.; VIEIRA, P. R. C. Análise multivariada com o uso do SPSS. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2011.

ROSENBLATT, D.; SHIDLO, G. Quem tem mais recursos para governar? Uma comparação das receitas per capita dos estados e dos municípios brasileiros. Revista de Economia Aplicada, vol. 16, nº 1 (61), p. 101-106, janeiro-março/1996.

SCHILLEMANS, T. Calibrating public sector accountability: translating experimental findings to public sector accountability. Public Management Review, 08 Dec 2015, pp.1-20.

SECCHI, L. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. 2. Ed. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

SILVA, M. C. Avaliação de desempenho de governos municipais brasileiros na execução orçamentária da despesa por funções de governo. 168 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis). Programa Multi-institucional e Inter-regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal, RN, 2016.

SILVA, M. C.; SILVA, J. D. G.; BORGES, E. F.; SOUZA, F. J. V. Ranking de desempenho de municípios: elaboração de um único índice a partir do IDHM, IFDM e IRFS. Veredas FAVIP, ano 11, volume 8, número 1, 2015.

SILVA, M. C.; FIRMINO, J. E.; GOMES, A. M.; SILVA, J. D. G. Responsabilidade Fiscal, Social e de Gestão das Capitais das Unidades da Federação Brasileira: avaliação em um único índice (2005 – 2010). Espacios. Vol. 37 (Nº 32), Año 2016a. Pág. 16.

SILVA, M. C.; SOUZA, F. J. V.; SILVA, J. D. G; BORGES, E. F. Índice de desenvolvimento da educação básica dos Estados e do DF. Revista Capital Científico – Eletrônica (RCCe), vol. 14, n. 1, janeiro/março 2016b, p. 91-104.

SOARES, A. C. L. G.; GOSSON, A. M. P. M.; MADEIRA, M. A. L. H.; TEIXEIRA, V. D. S. Índice de Desenvolvimento Municipal: hierarquização dos municípios do Ceará no ano de 1997. R. Paran. Desenv., Curitiba, n.97, p. 71-89, set./dez. 1999.

SOARES, M.; LYRA, R. L. W. C.; HEIN, N.; KROENKE, A. O emprego da análise de balanços e métodos estatísticos na área pública: o ranking de gestão dos municípios catarinenses. RAP - Rio de Janeiro, 45(5):1425-443, Set./out. 2011.

STEVENSON, W. J. Estatística aplicada à administração. São Paulo: Harper & Row do Brasil, 1981.

SUZART, J. A. S. As Instituições Superiores de Auditoria: um estudo do nível de transparência fiscal dos países. Contabilidade, Gestão e Governança – Brasília, v. 15, n. 3, p. 107–118, set./dez. 2012.

TIMM, N. H. Applied multivariate analysis. New York: Springer-Verlag, 2002.

VARELA, P. S.; MARTINS, G. A.; CORRAR, L. J. Perfil dos gastos públicos versus perfil econômico-social dos municípios paulistas. RCO – Revista de Contabilidade e Organizações – FEARP/USP, v. 3, n. 5, p. 80-97 jan./abr. 2009.

VYAS, S.; KUMARANAYAKE, L. Constructing socio-economic status indices: how to use principal components analysis. Health Policy and Planning, 9 October 2006, 21 (6): 459-468.

WEBB, N. J.; BLANDIN, J. S. Evaluating executive performance in the public sector. International Public Management Review – IPMR, Volume 7, Issue 1, p. 98-117, 2006.




DOI: https://doi.org/10.26694/2358.1735.2017.v4ed15637

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários