ENDIVIDAMENTO PÚBLICO: UMA ANÁLISE DO ENDIVIDAMENTO PÚBLICO EM DUAS ASSOCIAÇÕES DE MUNICÍPIOS CATARINENSES

Marcio Roberto Piccoli, Alessandra Jerszurki

Resumo


As entidades públicas de uma forma geral têm, por objetivo exercer seu papel social, mantendo a estrutura pública atendendo às necessidades de uma comunidade, como infraestrutura, saúde, educação e transportes. Cabe a este Estado também, exercer uma administração financeira pública de qualidade que consiga demonstrar o equilíbrio em suas contas públicas, gastando e investindo menos do que se arrecada. Nesse sentido,  pesquisa tem por objetivo identificar as variáveis explicativas do aumento do endividamento público nos anos de 2011 a 2014 de duas associações de municípios do estado de Santa Catarina: AMFRI - Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí, e a AMMOC - Associação dos Munícipios do Meio Oeste Catarinense. A pesquisa caracteriza-se como qualitativa/quantitativa a partir da aplicação de regressão linear múltipla utilizando-se do Software SPSS® 21.0, em foram analisados os dados e informações retiradas dos portais eletrônicos dos municípios analisados. A pesquisa teve como principais resultados, de que a variação do endividamento público dos municípios pesquisados tem forte relação com as variáveis: receita de capital, receita corrente, despesa de capital, despesa corrente, número de habitantes, número de funcionários comissionados e número de funcionários efetivos. A pesquisa concluiu ainda, que mesmo as associações possuindo diferentes bases de economia e localização, as variáveis despesas correntes e de capital, e número de habitantes apresentaram relação positiva e significativa em relação ao endividamento público dos municípios.


Palavras-chave


Palavras-chave: Endividamento Público. Administração Financeira. Contas Públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Inaldo da Paixão Santos; ARRÚDA, Daniel Gomes; BARRETO, Pedro Humberto Teixiera. O essencial da contabilidade pública. São Paulo: Saraiva. 2009.

ARAÚJO, Jair Andrade de; MONTEIRO, Vitor Borges; CAVALCANTE, Cristina Aragão. Influência dos gastos públicos no crescimento econômico dos Municípios do Ceará. 2010.Disponível em http://www.repositorio.ufc.br/ri/handle/riufc/5428. Acesso 10 jan. 2015.

BRASIL. Constituição: República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. DECRETO –LEI n. 200, de 25 de fevereiro de 1967. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 fev. 1967. Disponível em: http://www010.dataprev.gov.br/sislex/paginas/24/1967/200.htm. Acesso 22 mar 2015.

BRASIL. LEI n. 4.320, de 17 de março de 1964. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 mar. 1964.

BRASIL. LEI COMPLEMENTAR Nº 101, DE 4 de maio de 2000. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 05 mai. 2000.

CÂNDIDO JÚNIOR, José Oswaldo. Os gastos públicos no Brasil são produtivos? Planejamento e Políticas Públicas, n. 23, 2009.

CARVALHO, Lena Oliveira de; MEDEIROS, Otavio Ladeira de; SILVA, Anderson Caputo. DÍVIDA PÚBLICA: A Experiência Brasileira. Brasília, 2009.

CROZATTI, Jaime et al. Endividamento Municipal no Brasil Antes e Depois da Lei de Responsabilidade Fiscal: Uma Análise Por Região Geográfica e Por Faixa da População. 2010. Disponível em http://www.anpad.org.br/admin/pdf/enapg473.pdf. Acesso em 06 mai 2015.

DE ALMEIDA CARRASQUEIRA, Simone. Investimento das empresas estatais e endividamento público. 2006. Disponível em http://dominiopublico.mec.gov.br/download/teste/arqs/cp000820.pdf. Acesso em 10 jan 2015.

DE MELLO, Gilmar Ribeiro; SLOMSKI, Valmor. Fatores que influenciam o endividamento dos estados brasileiros. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 3, n. 7, p. 78-92, 2009.

GIACOMONI, James. Orçamento público. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1986. 215 p.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

KOHAMA, Heilio. Contabilidade Pública: Teoria e Prática. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

KOSCIANSKI, Rogério. O orçamento-programa como instrumento de planejamento e gerenciamento públicos. 2003. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/86497. Acesso em 18 mar. 2015.

NEVES, José Luis. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Caderno de pesquisas em administração, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 2, 1996. Disponível em http://www.dcoms.unisc.br/portal/upload/com_arquivo/pesquisa_qualitativa_caracteristicas_usos_e_possibilidades.pdf. Acesso em 31 mar2015.

PASTORE, Affonso Celso. Déficit Público, a Sustentabilidade do Crescimento das Dívidas Interna e Externa, Senhoriagem e Inflação: Uma Análise do Regime Monetário Brasileiro. Brazilian Review of Econometrics, v. 14, n. 2, p. 177-234, 1995.

PISCITELLI, Roberto Bocaccio; TIMBÓ, Maria Zulene Farias. Contabilidade Pública: Uma abordagem da administração pública. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

ROCHA, Fabiana; GIUBERTI, Ana Carolina. Composição do gasto público e crescimento econômico: uma avaliação macroeconômica da qualidade dos gastos dos Estados brasileiros. Economia Aplicada, v. 11, n. 4, p. 463-485, 2007.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, CD de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, v. 1, n. 1, p. 1-15, 2009. Disponível em http://redenep.unisc.br/portal/upload/com_arquivo/pesquisa_documental_pistas_teoricas_e_metodologicas.pdf. Acesso em 31 mar 2015.

SHIKIDA, Cláudio Djissey; PAIVA, Ana Luiza Vieira; ARAUJO JÚNIOR, Ari Francisco de. Déficit nominal zero: uma avaliação crítica a partir do Modelo IS-MP. Planejamento e Políticas Públicas, v. 1, n. 31, 2009.

VERSIANI, F.R. A dívida pública interna e sua trajetória recente. Texto para discussão, UNB, 2003.




DOI: https://doi.org/10.26694/2358.1735.2018.v5ed16036

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários