AVALIAÇÃO DE EMPRESAS ESTATAIS E A EVIDENCIAÇÃO DA QUALIDADE DOS GASTOS PÚBLICOS: O caso da CEB Distribuição S.A.

Amanda Guimarães Teixeira Silva Schmidt, César Augusto Tibúrcio Silva

Resumo


Esta pesquisa tem como propósito demonstrar como a ferramenta de avaliação de empresas, pelo método do fluxo de caixa descontado, pode ser utilizada com a finalidade de avaliar a qualidade dos gastos públicos realizados sob a forma de investimentos em empresas estatais. A pesquisa consistiu em um estudo de caso de uma empresa brasileira do setor de energia elétrica, a CEB Distribuição S.A., subsidiária integral de uma sociedade de economia mista. O valor da empresa foi calculado com base em premissas determinadas a partir da análise do desempenho histórico da entidade e projeções macroeconômicas obtidas de outras fontes. Ressalta-se que foram utilizadas somente informações disponíveis ao público. O valor obtido como resultado indica que a entidade analisada não está gerando o retorno financeiro desejável em vista dos recursos públicos nela investidos e permite inferir que o valor recuperável do investimento da controladora nessa empresa é menor do que o valor contábil reconhecido. Essa conclusão pode servir como guia de ação na área pública, pois demonstra a necessidade de melhoria da qualidade dos gastos públicos realizados na empresa analisada, situação que pode se estender a outras empresas estatais brasileiras. Desta forma, sugere-se que sejam realizadas pesquisas utilizando esta metodologia para analisar outras empresas estatais do país.


Palavras-chave


Avaliação de empresas; CEB; Fluxo de caixa descontado; Setor elétrico; Qualidade do gasto público.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRANCHES, Sérgio. Reforma regulatória: conceitos, experiências e recomendações. Revista do Serviço Público, v. 50, n. 2, p. 19-50, 1999.

ANEEL. Agência Nacional de Energia Elétrica. Resolução Autorizativa nº 318, de 14 de setembro de 2005. Anui com a segregação de atividades, transferência de concessões e reestruturação societária da Companhia Energética de Brasília - CEB. Disponível em: < http://www2.aneel.gov.br/cedoc/rea2005318.pdf>. Acesso em: 16 fev. 2017.

BRADESCO. Projeções Bradesco Longo Prazo. Disponível em: . Acesso em: 06 fev. 2017.

BRASIL. Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2017.

______. Lei nº 10.848, de 15 de março de 2004. Dispõe sobre a comercialização de energia elétrica. Disponível em: . Acesso em: 16 fev. 2017.

______. Relatório resumido da execução orçamentária demonstrativo da projeção atuarial do regime geral de previdência social orçamento da seguridade social 2017 a 2060. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 21, p. 64-65, 30 jan. 2017.

CEB. Disponível em: . Acesso em: 15 mai. 2017.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS. Instrução CVM nº 361, de 5 de março de 2002. Dispõe sobre o procedimento aplicável às ofertas públicas de aquisição de ações. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2017

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Pronunciamento Técnico CPC 00 (R1): Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil. 2011.

______. Pronunciamento Técnico CPC 01 (R1): Redução ao Valor Recuperável de Ativos. 2010.

COSTA, Luis; COSTA, Luiz; ALVIM, Marcelo. Valuation: Manual de Avaliação e Reestruturação Econômica de Empresas. 1 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

DAMODARAN, Aswath. Avaliação de Investimentos. 2. ed. Qualitymark. 2010.

______. Finanças corporativas: teoria e prática. 2. ed. Bookman. 2004.

______. January 2017 Data Update 5: A Taxing Year Ahead? Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2017.

______. The little book of valuation: how to value a company, pick a stock and profit. John Wiley & Sons, 2011.

FERNÁNDEZ, Pablo. 102 errores en valoraciones de empresas. IESE Business School paper, Documento de investigación DI, n. 681, 2007.

______. Valuation methods and shareholder value creation. Academic Press, 2002.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

INTERNATIONAL FEDERATION OF ACCOUNTANTS (IFAC). International Good Practice Guidance: Project Appraisal Using Discounted Cash Flow (DCF), 2008.

INTERNATIONAL VALUATION STANDARDS COUNCIL (IVSC). Valuations of Specialised Public Service Assets. Exposure Draft, 2013.

KOLLER, Tim; GOEDHART, Marc; WESSELS, David. Valuation: measuring and managing the value of companies. 6 ed. John Wiley & Sons, 2015.

MARTELANC, Roy; PASIN, Rodrigo; PEREIRA, Fernando. Avaliação de Empresas: Um Guia para Fusões & Aquisições e Private Equity. São Paulo: Pearson, 2009.

MARTINS, Eliseu (Org.). Avaliação de empresas: da mensuração contábil à econômica. São Paulo: Atlas, 2001.

MUSGRAVE, Richard; MUSGRAVE, Peggy. Finanças Públicas. Ed. Campus. Universidade de São Paulo, 1980.

MYERS, Stewart. Interactions of corporate financing and investment decisions – Implications for capital budgeting. Journal of Finance, 29(1), 1-25, 1974.

PIRES, Beatriz. As empresas estatais e o controle societário do Estado. Revista JC, n. 145, 2012.

PÓVOA, Alexandre. Valuation: Como precificar ações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

SANTOS, José. Avaliação de empresas: cálculo e interpretação do valor das empresas - um guia prático. 2 ed. Saraiva. 2008.

SOUZA, Marcelo. Quantificação das incertezas na avaliação de projetos: o modelo utilizado na Agência de Fomento do Estado da Bahia. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

YIN, Robert. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.




DOI: https://doi.org/10.26694/2358.1735.2017.v4ed26172

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários