POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: UM OLHAR SOBRE A EXPERIÊNCIA DO PROEJA NO IF SERTÃO PE - CAMPUS FLORESTA

Talita de Souza Massena, Josaias Santana dos Santos, Juliana Reis Bernardes, Wellington Dantas de Sousa

Resumo


O presente artigo teve como objetivo avaliar o POEJA, enquanto política pública, com perfil sócio-educativo, focada na assistência de uma parcela da população que precisa ser tratada com diferencial que atenda às peculiaridades de sua situação social e educativa: os jovens e adultos com alteração na linha faixa etária-série escolar. A pesquisa é do tipo descritiva e de natureza qualitativa e, quanto aos procedimentos, é bibliográfica e documental. A pesquisa limitou-se a analisar a realidade dos cursos da modalidade PROEJA no IF Sertão PE. Como resultado verificaram-se os seguintes os pontos positivos: a preocupação com a reintegração do sujeito ao ambiente escolar, para instrumentalizá-lo a ter capacidades e habilidades de atuar mais eficientemente na sociedade, buscando pensar uma política pública que contemple essa necessidade peculiar; e como pontos negativos, podem-se citar todos os difíceis e reais percalços - institucionais e sociais - que atravancam o processo ensino-aprendizagem de jovens e adultos com distorção idade-série, concretizados nos altos índices de evasão e retenção, observados na execução desse estudo.


Palavras-chave


Políticas Públicas. Educação de Jovens e Adultos. Efetividade na Administração Pública.

Texto completo:

PDF

Referências


BOULLOSA, Rosana; ARAÚJO, Edgilson Tavares. Avaliação e monitoramento de projetos sociais. Curitiba: IESDE, 2009.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Planalto, Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado. htm Acesso 26 mar 2017.

BRASIL. Decreto n° 7.234, de 19 de julho de 2010. Dispõe sobre o Programa Nacional de Assistência Estudantil - PNAES.

BRASIL. Lei nº 11.892 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB nº. 11/2001 e Resolução

CNE/CEB nº. 1/2000. Diretrizes Curriculares para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília: MEC, maio 2000.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências.

BRASIL, Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências.

BRASIL, Lei nº 9.649, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei Federal nº 9.394. Lei de Diretrizes e Bases da Educação

Nacional. 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Brasil Alfabetizado. Brasília: MEC, 2003.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD 2003. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2003/coeficiente_brasil.shtm Acesso em: 07 abr 2017.

DI PIETRO, M.S.Z. Direito Administrativo. 18. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

FORTINI, Cristina; ESTEVES, J. C. S; DIAS, M. T. F. Políticas públicas - possibilidades e limites. Belo Horizonte: Fórum, 2008.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1979.

FREY, Klaus. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 21, p. 211-259, jun. 2000.

FRIGOTTO, Gaudêncio. CIAVATTA, Maria. A Política de educação profissional no governo Lula: Um percurso histórico Controvertido. Eduac. Soc. Campinas, vol 26, n 92, p. 1087-1113, Especial-out. 2015. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso 26 mar 2017.

IF Sertão PE. Disponível em: www.ifsertao-pe.edu.br. Acesso em: 07 abr 2017.

MORAIS, Antonio Carlos Flores. Legalidade, Eficiência e Controle da Administração Pública. Belo Horizonte: Fórum, 2007.

NONATO, Raquel Sobral. Compras Públicas Sustentáveis no Brasil: Análise da produção e circulação das ideias a partir da ressignificação dos atores. 2015. 133 p. Dissertação (CMAPG) - Escola de Administração de Empresas de São Paulo.

PAIVA, Jane. Educação de Jovens e Adultos: direito,

concepções e sentidos. Tese de Doutoramento em Educação.

Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade

Federal Fluminense. Niterói: UFF, 2005.

SANTOS, Reginaldo Souza; RIBEIRO, Elizabeth Matos; et. All. “Compreendendo a natureza das políticas públicas o Estado capitalista”. Rap, Rio de Janeiro 41(5): 813 – 1010, Set./Out., 2007.

SARAVIA, Enrique; FERRAREZI, Elisabete. Políticas públicas. Brasília: ENAP, 2006.

TEIXEIRA, Elionaldo. O Papel das Políticas Públicas no Desenvolvimento Local e na Transformação da Realidade de Salvador. Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais da Bahia: 2002. Disponível em: http://www.fit.br/home/link/texto/ Acesso 26 mar 2017.

TORRES, Marcelo Douglas de Figueiredo. Estado, democracia e administração pública no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004. 224 p.




DOI: https://doi.org/10.26694/2358.1735.2018.v5ed27304

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários