Tradição, Tomismo e Teísmo na Filosofia Moral de Alasdair MacIntyre

Isabel Cristina Rocha Hipólito Gonçalves

Resumo


Alasdair MacIntyre ao realizar uma série de críticas à moralidade e filosofia moral modernas e contemporâneas defende a tese de que o desacordo moral e a ausência de justificação racional para a moralidade é fruto do abandono do elemento teleológico da ética, especialmente do abandono da ética aristotélica, o que o leva a propor a retomada da ética teleológica de Aristóteles. Essa retomada é justificada com a teoria da racionalidade das tradições, por meio da afirmação de que o modo tradicional de investigação é o melhor e que a tradição aristotélico-tomista corresponde a uma tradição moral superior às suas rivais. Com sua adesão a essa tradição MacIntyre vai apontar Tomás de Aquino como o teórico que conseguiu reunir todas as características do modo tradicional de investigação moral, integrando a tradição aristotélica e a agostiniana, o que fez com que o próprio MacIntyre se aproximasse e se apropriasse cada vez de elementos fundamentais do Tomismo. O Tomismo de MacIntyre, por sua vez, sofre uma série de críticas e objeções, especialmente em relação às tensões que se estabelecem no interior do pensamento do autor, que em After Virtue prometia um pensamento secular e pragmático. Este trabalho tratará dessa tensão e de algumas críticas direcionadas ao Tomismo de MacIntyre.


Palavras-chave


Alasdair MacIntyre, Tradição, Tomismo, Teísmo

Texto completo:

PDF

Referências


COLEMAN, Janet. MacIntyre and Aquinas. N: HORTON, John & MENDUS, Susan. After MacIntyre: critical perspectives on the work of Alasdair MacIntyre. Notre Dame: University of Notre Dame Press, 1994.

HALDANE, John. MacIntyre’s Thomist Revival: What Next? IN: HORTON, John & MENDUS, Susan. After MacIntyre: critical perspectives on the work of Alasdair MacIntyre. Notre Dame: University of Notre Dame Press, 1994.

LUTZ, Christopher Stephen. Tradition in the ethics of Alasdair MacIntyre: relativism, thomism, and philosophy. New York: Lexington Books, 2004.

MacINTYRE, Alasdair. Whose Justice? Which Rationality? Notre Dame: University Notre Dame Press, 1988.

________. Three Rival Versions of Moral Enquiry: Encyclopedia, Genealogy and Tradition. Notre Dame: University of Notre Dame Press, 1990a.

________. First principles, final ends and contemporary philosophical issues. The Aquinas Lecture. Milwaukee, Marquette University Press, 1990b.

_________. A partial response to my critics. In: HORTON, John. MENDUS, Susan. After MacIntyre. Notre Dame: University of Notre Dame Press, 1994a.

________. How can we learn what Veritatis Splendor has to teach? IN: The Thomist: a Speculative Quarterly Review. Vol 58. April. Washington: The Thomist Press, 1994b. p.171-195

_______. Dependent Rational Animals: Why Human Beings Need the Virtues. Chicago: Open Court Publishing Company, 1999. (The Paul Carus Lectures Series, 20).

_______. Depois da virtude. Tradução de Jussara Simões. Revisão técnica de Helder Buenos Aires de Carvalho. Bauru, São Paulo: EDUSC, 2001.

_______. Philosophy recalled to its tasks: a Thomistic reading of Fides et Ratio. In: MacINTYRE, Alasdair. The tasks of philosophy: selected essays. Vol I. New York: Cambridge University Press, 2006. p. 179-196.

________. After virtue: a study in moral theory. 3.ed. Notre Dame: University Notre Dame Press, 2007.

________. Justiça de Quem? Qual racionalidade? Tradução de Marcelo Pimenta Marques. 3. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

________. God, Philosophy and Universities: a selective history of the Catholic Philosophical Tradition. USA: Rowan & Littlefield Publishers Inc, 2009.

________. Ethics in the conflicts of modernity: an essay on desire practical reasoning, and narrative. New York: Cambridge University Press, 2016.

NAGEL, Thomas. MacIntyre versus Enlightenment. In: NAGEL, Thomas. Other minds: essays critical. New York: Oxford University Press, 1995.

NUSSBAUM, Martha C. Recoiling from reason. The New York Review of Books. December, 1989. p. 1-10. http://www.nybooks.com/articles/archives/1989/dec/07/recoiling-from-reason/?pagination=false&printpage=true. Acesso em: 03/09/15, 17:21.

PAULO II, João. O esplendor da verdade. 13.ed. 4. reimpressão. São Paulo: Paulinas, 2014a.

PAULO II, João. Fides et Ratio. 13.ed. 4. reimpressão. São Paulo: Paulinas, 2014b.




DOI: https://doi.org/10.26694/pensando.v9i18.6390

DOI (PDF): https://doi.org/10.26694/pensando.v9i18.6390.g5068

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.


INDEXADA EM/INDEXED BY:

Logotipo do Sumarios   Logotipo do DOAJ Logotipo do IBICT  Logotipo da rede Cariniana  Logotipo do LatIndex 

Logotipo da ANPOF Logotipo da MIAR

Logotipo do Portal Periodicos Logotipo da Diadorim Logotipo do Philosopher's Index

Logotipo da LIVRE   Logotipo da PhilPaper   Logotipo da CrossRef   Logotipo da SUDOC   Logotipo da BELUGA    

 



ENDEREÇO/MAIL ADDRESS:

Universidade Federal do Piauí, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Centro de Ciências Humanas e Letras, Campus Min. Petrônio Portela,

CEP 64.049-550,  Teresina - PI, Fone: (86) 3237 1134  E-mail: revista.pensando@gmail.com



 

OUTROS LINKS:

  Logotipo da Capes   Logotipo do CNPq   Logotipo da UFPI  Logotipo da FAPEPI

 


ISSN 2178-843X