Health assistance infection in a neonatal intensive therapy unit / Infecção relacionada à assistência a saúde em unidade de terapia intensiva / Infección relacionada a la asistencia de la salud en unidad de terapia intensiva neonatal

Camila Santana Pimentel, Daniela de Carvalho Nunes, Isaiane Santos Bittencourt, Rudval Sousa da Silva, Isis Cristiane Marques dos Santos, Rosany Claudia Dantas Pereira

Resumo


Objetivo: descrever as principais características das infecções hospitalares em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Metodologia: Estudo descritivo de revisão de literatura, que utilizou a busca eletrônica, nas bases de dados científicas e análise e interpretação dos dados com base na Análise de Conteúdo de Bardin. Resultado: Delimitaram-se três categorias: Tipos de transmissão das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde em neonatos; Principais microrganismos presentes nas infecções em neonatos; e Recomendações para controle e prevenção de infecções em neonatos. Verificou-se que a transmissão destas infecções dividem-se em transplacentárias; precoce, de provável origem materna; e tardias, de origem hospitalar. Dentre os microrganismos mais relatados na literatura estão o Staphylococcus coagulase negativa, Staphylococcus aureus, Klebsiela pneumoniae, Candida sp e Pseudomonas aeruginosa. E as principais formas de controle e prevenção envolvem a lavagem, o uso controlado de antimicrobianos e a orientação aos pais e responsáveis quanto ao manuseio do neonato.  Conclusões: Tais constatações podem contribuir para a ampliação do conhecimento dos profissionais que atuam nas Unidades de Terapias Intensivas Neonatais, possibilitando uma assistência de qualidade aos recém-nascidos.

Palavras chaves: Assistência à saúde. Infecção. Infecção Hospitalar. Unidade de Terapia Intensiva Neonatal.


Palavras-chave


Assistência à saúde. Infecção. Infecção Hospitalar. Unidade de Terapia Intensiva Neonatal.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 930, de 10 de maio de 2012. Disponível em:. Acesso em: 09 de jul. de 2016

Slavish SM. Manual de prevenção e controle de infecções para hospitais. Porto Alegre: Artmed, 2012.

Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de prevenção de infecção relacionada à assistência à saúde. Brasília: ANVISA, 2013.

Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Gerência de Investigação e Prevenção das Infecções e dos Eventos Adversos. Critérios diagnósticos de infecções relacionados à assistência à saúde: neonatologia. Brasília: ANVISA, 2013.

Oliveira COP, Souza NL, Silva EMM, Silva JB, Saraiva EM, Rangel CT. Caracterização das infecções relacionadas à assistência à saúde em uma unidade de terapia intensiva neonatal. RevEnfmUERJ 2013; 21(1): 90-4. Disponível em: . Acesso em: 11 de jul. de 2016.

Vieira S, Hossne WS. Metodologia cientifica para a área da saúde. 2 ed. Rio de Janeiro: Elservier; 2015.

Thomas JR, Nelson JK, Silverman SJ. Métodos de pesquisa em atividade física. 6 ed. Porto Alegre: Artmed; 2012.

Bardin L. Análise de conteúdo. 1 ed. São Paulo: Edições 70; 2011.

Catarino CF, Marins ACS, Silva APAM, Gomes AVO, Nascimento MAL. Perfil epidemiológico das infecções primárias de corrente sanguínea em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Rev pesqui cuid fundam. Online 2012; 5(1): 3229-3237.

Romanelli RMC, Anchieta LM, Mourão MVA, Campos FA, Loyola FC, Jesus LA, et al. Infecções relacionadas à assistência a saúde baseada em critérios internacionais, realizada em unidade neonatal de cuidados progressivos de referência de Belo Horizonte. Rev. bras. epidemiol. 2013; 16(1): 77-86.

Lima MRS, Soares NS, Mascarenhas MDM, Amaral EJLS. Intervenção em surto de Klebsiellapneumoniae produtora de betalactamase de espectro expandido (ESBL) em unidade de terapia intensiva neonatal em Teresina. Epidemiol. Serv. Saúde [online] 2014; 23(1):177-182.

Duarte ED, Pimenta AM, Silva BCN, Paula CM. Fatores associados à infecção pelo uso do cateter central de inserção periférica em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Ver Esc Enferm USP 2013; 47(3): 547-554.

SILVAARA.et al.Infecções relacionadas à assistência à saúde por Staphylococcuscoagulase negativa em unidade de terapia intensiva neonatal. Rev Bras Ter Intensiva 2013; 25(3): 239-244.

Lorenzini E, Costa TC, Silva EF. Prevenção e controle de infecção em unidade de terapia intensiva neonatal. Rev Gaúcha Enferm. 2013; 34 (4):107-113.

Ventura CMU.Alves LGB. Menezes JA. Eventos adversos em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Rev Bras Enferm, Brasília 2012, 65 (1): 49-55.

Paim R, Lorenzini E.Estratégias para prevenção da resistência bacteriana. Rev Cuid. 2014; 5(2):757-64

Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de Prevenção de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde. Brasília: ANVISA, 2013.

Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do paciente: relatório sobre autoavaliação para higiene das mãos. Brasília: ANVISA, 2012.




DOI: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7361-66

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

Indexado em:




Apoio: