Scale of risk assessment in surgical positioning: experience report /Escala de avaliação de risco no posicionamento cirúrgico: relato de experiência / Escala de evaluación de riesgo en el posicionamiento quirúrgico: relato de experiencia

Hermaiza Angélica do Bonfim Loiola, Maryam Andrade Fróz, Maria Madalena Macedo Pires Fonseca, Rafaela Spindola de Souza, Luciane Sousa Pessoa Cardoso, Santana de Maria Alves de Sousa

Resumo


Objetivos: relatar a experiência de implantação da escala de posicionamento cirúrgico em um centro cirúrgico de um hospital particular, no protocolo de prevenção de lesão por pressão em decorrência do posicionamento cirúrgico. Metodologia: trata-se de um estudo descritivo, quantitativo, do tipo relato de experiência vivenciado pelas enfermeiras assistências do centro cirúrgico de um hospital particular de referência em procedimentos de alta complexidade. Este possui o protocolo de posicionamento cirúrgico implantado através da Escala de Avaliação de Risco para o Desenvolvimento de Lesões Decorrentes do Posicionamento Cirúrgico. Observou-se a aplicação da escala durante os procedimentos de alta complexidade, bem como as medidas adotadas pelos enfermeiros. Resultados: as cirurgias observadas foram: 05 artrodese de coluna, 02 revascularização do miocárdio, 04 gastroplastia by pass, 03 fraturas de fêmur, 03 craniotomias, 01 hepatectomia, 01 colectomia, 01 artroplastia de joelho, 01 retossigmoidectomia e 01 fratura de úmero. A média de pontuação obtida entre os procedimentos observados foram entre 20 a 26 pontos. Conclusão: atualmente a identificação individual dos riscos é tida como padrão ouro, e a escala de avaliação de risco em decorrência do posicionamento cirúrgico auxilia na tomada de ações imediatas de melhoria na assistência de enfermagem perioperatoria. 

Descritores: Centro Cirúrgico. Enfermagem Perioperatória. Posicionamento do Paciente.


Texto completo:

PDF

Referências


Costa IG, Caliri MHL. Validade preditiva da escala de Braden para pacientes de terapia intensiva. Acta paul. enferm. [Internet]. 2011;24(6):772-777. Disponíovel em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002011000600007.

Alexandre, NMC, Colluci, MZO. Validade de Conteúdo nos processos de construção e adaptação de instrumentos de medidas. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2011; 16( 7 ): 3061-3068. Disponíovel em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000800006

Araújo TM, Araújo MFM, Cavalcante CS, Barbosa Junior GM, Caetano JÁ. Acurácia de duas escalas de avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos. Rev. Enferm. UERJ 2011;19(3):38–85. Disponíovel em: http://www.facenf.uerj.br/v19n3/v19n3a07.pdfv

Santos, JS, et al. Teste piloto de checklist de cirurgia segura: relato de experiência. Rev Enferm UFPI. [Internet] 2017 Jan-Mar;6(1):76-9. Disponíovel em: https://doi.org/10.26694/reufpi.v6i1.5648

Armstrong, D, Bortz, P. An integrative review of pressure relief in surgical patients. AORN J. [Internet] 2001;73(3):645 – 74. Disponíovel em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11253620

Blanes L, Duarte IS, Calil JA, Ferreira LA. Avaliação clínica e epidemiológica das úlceras por pressão em pacientes internados no Hospital São Paulo. Rev Assoc Méd Bras. [Internet] 2004;50(2):182-7. Disponíovel em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302004000200036.

Kottner, J, Dassen, T. Interpreting interrater reliability coefficients of the Braden scale: a discussion paper. Int J Nursing Studies. [Internet] 2008;45(8):1238 – 46. Disponíovel em: https://doi.org/10.1016/j.ijnurstu.2007.08.001

Braden, BJ, Maklebust, J. Preventing pressure ulcers with the Braden Scale: An update on this easy – to – use tool that assesses a patient´s risk. Am J Nurs. [Internet] 2005;105(6):70 – 2. Disponíovel em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15930875

Novo modelo de escala ganha destaque internacional. Sobecc nacional. Disponível em: http://www.sobecc.org.br/entrevista/2




DOI: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7286-89

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

Indexado em:




Apoio: