Performance of the multi-professional team in relation to hospitalized chronic wound carrier / Atuação da equipe multiprofissional ao portador de ferida crônica hospitalizado / Actuación del equipo multiprofesional al portador de herida crónica hospitalizada

Priscila Cristina de Andrade, Suélen Miranda Ribeiro Pontes Duarte

Resumo


Objetivo: identificar a atuação da equipe multiprofissional no atendimento ao paciente hospitalizado portador de ferida crônica hospitalizado e elaborar uma proposta de instrumento para um atendimento multiprofissional a esse paciente. Metodologia: Foi realizado um estudo de abordagem qualitativa e quantitativa, transversal, exploratório, de amostragem não probabilística por conveniência, cujos dados qualitativos foram interpretados por meio da análise de conteúdo de Bardin, perfazendo uma amostra de 16 participantes, composta por enfermeiros, médicos, nutricionistas e psicólogos. Resultados: Da análise, emergiram seis categorias temáticas, sendo elas: anamnese, tratamento da ferida, avaliação geral do paciente, acompanhamento, avaliação da ferida e trabalho em equipe multiprofissional. Assim sendo, foi possível a elaboração da proposta de um instrumento para assistência multiprofissional ao paciente portador de ferida crônica. Conclusão: o estudo aponta que a atuação dos profissionais enquanto membros da equipe multiprofissional ao paciente portador de ferida crônica hospitalizado viabiliza um tratamento resolutivo e uma assistência integral à saúde desse paciente, deixando evidente a importância de diversos profissionais na composição da estrutura da equipe multiprofissionalnos serviços de saúde.

Descritores: Feridas. Equipe multiprofissional. Assistência integral à saúde.


Texto completo:

PDF

Referências


Geovanini T. Tratado de feridas e curativos: enfoque multiprofissional. São Paulo: Rideel; 2014.

Maciel EAF, Carvalho DV, Borges EL, SS Matos, Guimarães GL. Prevalência de feridas em pacientes internados em hospital de grande porte. Rev Enferm UFPI. [Internet] 2014 [acesso em 10 out 2017]; 3(3): 66-72. Disponível: http://www.ojs.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/2036/pdf.

Brasil. Manual de condutas para tratamento de úlceras em hanseníase e diabetes. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2008.

Shubhangi VA. Chronic Leg Ulcers: Epidemiology, Aetiopathogenesis and Management. Ulcers. [Internet] 2013 [acesso em 8 ago 2017]; 2013(1):1-9. Disponível em: https://www.hindawi.com/journals/ulcers/2013/413604/.

Barros MPL, Ferreira PJO, Maniva SJCF, Holanda RE. Caracterização de feridas crônicas de um grupo de pacientes acompanhados no domicílio. Rev Interd. [Internet] 2016 [acesso em 11 set 2017]; 9(3):1-11. Disponível: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/926/pdf_333.

Dal Santos M, Franco S, Sanches FLFZ, Rosalva R, Hack J, Meotti N et al. Caracterização nutricional de pacientes com úlceras crônicas de membros inferiores em tratamento no ambulatório de feridas do Campus Cedeteg da UNICENTRO, Guarapuava-PR. Cient Ciênc Biol Saúde. [Internet] 2015 [acesso em 11 set 2017]; 17(1):13-9. Disponível: http://www.pgsskroton.com.br/seer/index.php/JHealthSci/article/view/318/298.

Sehnem GD, Busanello J, Silva FM, Poll MA, Borges TAP, Rocha EN. Dificuldades enfrentadas pelos enfermeiros no cuidado de enfermagem a indivíduos portadores de feridas. Cienc Cuid Saúde. [Internet] 2015 [acesso em 11 set 2017]; 14(1):839-46. Disponível: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/20949/pdf_292.

Abreu AM, Renaud BG, Oliveira B. Atendimento a pacientes com feridas crônicas nas salas de curativo das policlínicas de saúde. Rev Bras Pesq Saúde. [Internet] 2013 [acesso em 5 out 2017]; 15(2):42-9. Disponível: http://periodicos.ufes.br/RBPS/article/view/5673/4120.

Fontanella BJB, Ricas J, Turato ER. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad. Saúde Pública. [Internet] 2008 [acesso em 01 ago 2017]; 24(1):17-27. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000100003

Bardin L. Análise de Conteúdo. 1 ed. São Paulo: Edições 70; 2016.

Silveira MH, Ciampone, MH, Gutierrez BAO. Percepção da equipe multiprofissional sobre cuidados paliativos. Rev bras geriatr gerontol. [Internet] 2014 [acesso em 10 out 2017]; 17(1):7-16. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-98232014000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=pt.

Agreli HF, Peduzzi M, Silva MC. Atenção centrada no paciente na prática interprofissional colaborativa. Interface. [Internet] 2016 [acesso em 10 out 2017]; 20(59):905-16. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622015.0511.

Camillo NRS, Oliveira JLC, Bellucci Júnior JA, Cervilheri AH, Haddad MCFL, Matsuda LM. Acreditação em hospital público: percepções da equipe multiprofissional. Rev Bras Enferm. [Internet] 2016 [acesso em 8 nov 2017]; 69(3):451-59. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/reben/v69n3/0034-7167-reben-69-03-0451.pdf.

Soares MOM, Higa EFR, Gomes LF, Marvã JPQ, Gomes AIF, Gonçalves AHC. Impacto da anamnese para o cuidado integral: visão dos estudantes portugueses. Rev Bras Promoç Saúde. [Internet] 2016 [acesso em 8 nov 2017]; 29(5):66-75. Disponível: http://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/6407/5214.

Dantas DV, Torres GV, Salvetti MG, Costa IKF, Dantas RAN, Araújo RO. Validação clínica de protocolo para úlceras venosas na alta complexidade. Rev Gaúcha Enferm. [Internet] 2016 [acesso em 10 nov 2017]; 37(4):1-9. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v37n4/0102-6933-rgenf-1983-144720160459502.pdf.

Brasil. Lei n. 12.842, de 10 de julho de 2013. Dispõe sobre o exercício da Medicina. Diário Oficial da União, Brasília. 2013.

Conselho Federal de Enfermagem. Regulamenta a competência da equipe de enfermagem no cuidado às feridas e dá outras providências. Resolução nº 501 de 9 de dezembro de 2015. Brasília. 2015.

Hopkins A, Worboys F. Establishing community wound prevalence within an inner London borough: exploring the complexities. J Tissue Viability. [Internet] 2015 [acesso em 10 dez 2017];24(1):42-9. Disponível: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25467134.

Malagutti W, Kakihara CT. Curativos, estomias e dermatologia: uma abordagem multiprofissional. 3 ed. São Paulo: Martinari; 2014.

Alves LR, Giacomini MA, Camelo SHH, Laus AM, Leal LA, Goulart BF et al. Evidências sobre trabalho em equipe na atenção hospitalar. J Health NPEPS. [Internet] 2016 [acesso em 23 dez 2017]; 1(2):246-62. Disponível: https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/1592/1518.




DOI: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7434-42

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

Indexado em:




Apoio: