Prevalence of geriatric depression in a basic health unit / Prevalência de depressão geriátrica em uma unidade básica de saúde / Prevalencia de depresión geriátrica en una unidad básica de salud

Márcia Astrês Fernandes, Douglas Meneses de Melo, Lívio Amaral Bastos, Carla Danielle Araújo Feitosa

Resumo


Objetivo: analisar os fatores associados à prevalência de depressão em idosos atendidos em uma Unidade Básica de Saúde. Metodologia: trata-se de um estudo transversal que avaliou uma amostra de 130 idosos de uma unidade básica de saúde. Aplicou-se a escala de depressão geriátrica no período de abril a junho de 2014, sendo os resultados processados no programa SPSS versão 19.0, utilizando-se das análises estatística descritiva e inferencial dos dados. Teve aprovação por Comitê de Ética em Pesquisa com CAAE nº 0519.0.045.000-11. Resultados: houve predominância do sexo feminino (60%), com média de idade de 68,98 anos, casados (53,08%), residindo com familiares (85,39%) e aposentados (62,31%). Quanto à religião, a maioria revelou seguir o catolicismo (70,77%). No tocante a variável lazer, 63,08% afirmaram executar alguma atividade de lazer. Observou-se uma prevalência de depressão de 35,4% para depressão leve e 4,6% para a grave. Conclusão: a depressão é um problema de saúde pública que afeta principalmente idosos tornando, portanto, o diagnóstico precoce fundamental para melhor prognóstico e para qualidade de vida da pessoa idosa.

Descritores: Depressão. Idoso. Saúde do Idoso.


Texto completo:

PDF

Referências


Branco COC, Reis JF, Sarmento MSRA, Feitosa CDA, Figueiredo MLF, Sales JCS. Elderly women assisted in primary healthcare: sociodemographic and economic analysis. Rev Enferm UFPI [internet]. 2017 [citado em 24 março 2018]; 6(2):44-50.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo Demográfico. Brasília, 2010.

Guimarães DBO, Mendes PN, Rodrigues IS, Feitosa CDA, Sales JCS, Figueiredo MLF. Characterizaton of elderly person victim of violence. J Nurs UFPE on line [Internet]. 2015 [citado em 28 ago 2016]; 10(supl.3): 1343-50.

Santos JG, Pereira JR, Teixeira CVL, Corazza DI, Vital TM, Costa JL. Sintomas depressivos e prejuízo funcional de idosos de um Centro-Dia Geriátrico. J bras psiquiatr [internet]. 2012 [citado em 20 jul 2016]; 61(2): 102-6.

Coronel JJC; Fuentes JF; Rincón CR. Revisión bibliográfica sobre características sociodemográficas y repercusiones de la depresión en el trabajador. Med Segur Trab [internet]. 2011 [citado 20 jul 2016]; 57(223): 174-187.

Runcan PL. Elderly institutionalization and depression. Procedia Soc Behav Sc [internet]. 2012 [citado 14 maio 2018]; 33: 109-113.

Horta ALM, Ferreira DCO, Zhao LM. Envelhecimento, estratégias de enfrentamento do idoso e repercussões na família. Rev Bras Enferm [internet]. 2010 [citado em 30 jul 2016]; 63(4): 523-28.

Alvarenga MRM, Oliveira MAC, Faccenda O. Sintomas depressivos em idosos: análise dos itens da Escala de Depressão Geriátrica. Acta Paulista Enferm. 2012; 25(4): 497-503.

Resolução N°466, DE 12 de dezembro de 2012. Aprovar as seguintes diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos (2012 Dez.12).

Cavalcante FG, Minayo MCS, Mangas RMN. Diferentes faces da depressão no suicídio em idosos. Ciênc. saúde coletiva [internet]. 2013 [citado em 30 jul 2016]; 18(10).

Torres GV, Reis LA, Reis LA, Fernandes MH. Características sociodemográficas e de saúde de idosos dependentes residentes em domicílio. Rev Espaç Saúde [internet]. 2009 [citado em 30 jul 2016]; 10(2): 12-7.

Sobreira FMM, Sarmento WE, Oliveira AMB. Perfil epidemiológico e Sociodemográfico de idosos frequentadores de Grupo de Convivência e Satisfação Quanto à Participação no Mesmo. Rer bras Ciênc Saúde [internet]. 2011 [citado em 22 jul 2016]; 15(4): 429-38.

Paskulin LMG, Vianna LAC. Perfil sociodemográfico e condições de saúde autorreferidas de idosos de Porto Alegre. Rev Saude Publica [internet]. 2007 [citado em 03 ago 2016]; 41(5): 757-68.

Victor JF, Ximenes LB, Almeida PC, Vasconcelos FF. Perfil sociodemográfico e clínico de idosos atendidos em Unidade Básica de Saúde da Família. Acta Paul Enferm. 2009; 22(1): 49-54.

Chaves ECL, Paulino CF, Souza VHS, Mesquita AC, Carvalho FS, Nogueira DA. Qualidade de vida, sintomas depressivos e religiosidade em idosos: um estudo transversal. Texto contexto– enferm. 2014; 23(3):648-55.

Alvarenga MRM, Oliveira MAC, Faccenda O, Cerchiari EAN, Amendola F. Sintomas depressivos em idosos assistidos pela Estratégia Saúde da Família. Cogitare Enferm. 2010; 15(2): 217-24.

Carreira L, Botelho MR, Matos PCB, Torres MM, Salci MA. Prevalência de depressão em idosos institucionalizados. Rev enferm UERJ. 2011; 19(2): 268-73.

Siqueira GR, Vasconcelos DT, Duarte GC, Arruda IC, Costa JAS, Cardoso RO. Análise da sintomatologia depressiva nos moradores do Abrigo Cristo Redentor através da aplicação da Escala de Depressão Geriátrica (EDG). Ciênc saúde coletiva. 2009; 14(1): 253-9.

Sass A, Gravena AAF, Pilger C, Mathias TAF, Marcon SS. Depressão em idosos inscritos no Programa de Controle de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Acta paul enferm. 2012; 25(1): 80-5.

Ferreira PC dos S, Tavares DM dos S. Prevalência e fatores associados ao indicativo de depressão entre idosos residentes na zona rural. Rev esc enferm USP. 2013; 47(2):401-7.

Zanello V, Silva RMC. Saúde mental, gênero e violência estrutural. Rev Bioét [internet]. 2012 [citado em 26 jul 2016]; 20(2): 267-79.

Schrank G, Olschowsky A. O centro de Atenção Psicossocial e as estratégias para inserção da família. Rev esc enferm USP. 2008; 42(1):127-34.

Koch RF, Leite MT, Hildebrandt LM, Linck CL, Terra MG, Gonçalves LTH. Depressão na percepção de idosas de grupos de convivência. Rev enferm UFPE online [internet]. 2013 [citado em 28 jul 2016]; 7(9): 5574-82.




DOI: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7348-53

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

Indexado em:




Apoio: