Chronic renal disease: characteristics of patients waiting for renal transplantation / Doença renal crônica: características dos pacientes que aguardam o transplante renal / Enfermedad renal crónica: características de los pacientes que aguar..

Marcelo Anderson Cavalcante Monteiro, Geicilane Sousa, Larisse Sousa Santos, Rita Mônica Studart, Isabela Melo Bonfim, Débora Rodrigues Guerra

Resumo


Objetivo: caracterizar os pacientes renais crônicos que aguardam um transplante com doador falecido. Metodologia: estudo com abordagem quantitativa, realizado no ambulatório de transplante renal, com 120 prontuários de pacientes que estavam na fila de transplante renal no período de junho de 2017. Os dados foram transcritos e tabulados em uma planilha do programa Excel do Windows XP profissional e organizados em tabelas. O estudo recebeu parecer favorável do Comitê de Ética em Pesquisa com número 754462, CAAE 34237914.2.0000.5040. Resultados: foi identificada predominância do masculino (57,5%), com faixa etária de 44 a 53 (29%), procedentes do interior (63,3%), sem ocupação (49,2%), com condições habitacionais adequadas (87,5%). As causas indeterminadas foram a mais prevalentes (38,3 %), grupo sanguíneo “O” (75,8%), com sorologia positiva para citomegalovírus (48,3%), tempo de dialise de três a cinco anos (25,8%). Conclusão: os pacientes passam cerca de um ano em preparo clínico para um transplante renal e a dificuldade da avaliação cardiológica é a maior responsável por essa demora.

Descritores: Doença. Transplante Renal. Crônico. Enfermagem. Características.


Texto completo:

PDF

Referências


Fermi MRV. Manual de Diálise para Enfermagem. São Paulo: Medsi, 2011.

Bastos MG, Kirsztajn GM. Doença renal crônica: importância do diagnóstico precoce, encaminhamento imediato e abordagem interdisciplinar estruturada para melhora do desfecho em pacientes ainda não submetidos à diálise. J. Bras. Nefrol. [Internet]. 2011;33(1):93-108. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-28002011000100013.

Riella MC. Princípios de nefrologia e distúrbios hidroeletrolíticos. 5. ed. Rio deJaneiro: Editora: Guanabara Koogan, 2010.

Almeida FAA, Machado FC, Junior JAM, Guimarães AC. Mortalidade global e cardiovascular e fatores de risco de pacientes em hemodiálise. Arq. Bras. Cardiol. [Internet] 2010 Feb [cited 2018 Mar 22]; 94(2):201-206. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2010005000003 .

Machado G, Pinhati FR. Tratamento de diálise em pacientes com insuficiência renal crônica. Cadernos UniFOA. [Internet] 2014 ;9(26):137-148. Disponível em: http://web.unifoa.edu.br/cadernos/edicao/26/137-148.pdf

Andrade LGM, Garcia PD, Contti MM, Silva AL, Banin VB, Duarte JC, et al . Os 600 transplantes renais do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HC da FMB) - UNESP: Mudanças ao longo do tempo. J. Bras. Nefrol. [Internet]. 2014; 36(2): 194-200. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/0101-2800.20140030.

Bornholdt L, Eglon P, Natália TM, Josiane L, Cínthia CO. Qualidade de vida pós-transplante renal: revisão narrativa de literatura. 2017. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/salaoconhecimento/article/viewFile/7662/6399 . Acesso em: 12 mar. 2018.

Mendonça AEO, Torres GV, Salvetti MG, Alchieri JC,Costa IKF. Mudanças na qualidade de vida após transplante renal e fatores relacionados. Acta paul. enferm. [Internet]. 2014 June [cited 2018 Mar 22]; 27(3): 287-292. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002014000300287&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201400048

Nogueira MA, Lins MA, Martins TDR, Miranda PO, Maciel DO, Sá AMM. The knowledge of undergraduatie teachers in nursing about donation of organs and tissues for transplantation. Rev Enferm UFPI. [internet] 2017 Abr-Jun;6(2):16-22. Disponível em: https://doi.org/10.26694/reufpi.v6i2.5819

Torres GV, Mendonça AEO, Amorim IG, Oliveira ICM, Dantas RAN, Freire ILS. Perfil de pacientes em lista de espera para transplante renal. Rev Enferm UFSM [internet] 2013; 3(Esp.):700-8. Disponivel em: http://dx.doi.org/10.5902/2179769211095 .

Santos, Formiga LMF, Oliveira EAR, Lima LHO, Araújo AKS, Brito BB. Qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal crônica em tratamento hemodialítico. Rev Interd [Internet].2015 Jul-Set; 8(3):83-92. Disponível em: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/715/pdf_238

Barros E, Manfro RC, Thomé FS, Gonçalves LFS. Nefrologia: Rotinas, diagnóstico e tratamento. 3 ed. Porto Alegre: Artmed; 2014.

Gilioli A, Macedo SMD, Vieira MMF, Zanardo JC, Paraboni MLR. Soroprevalência de Toxoplasmose em pacientes de Hemodiálise atendidos em Erechim/RS. Rev. bras. anal. clin. 2010;42(4):287-291. Disponível em: http://www.rbac.org.br/wp-content/uploads/2016/08/RBAC_Vol42_n4.pdf

Furtado AM, Lima FET. Autocuidado dos pacientes portadores de insuficiência renal crônica com a fístula artério-venosa. Rev Gaúcha Enferm, Porto Alegre (RS) 2006 dez;27(4):532-38. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/4638




DOI: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7218-22

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

Indexado em:




Apoio: