Humanized attendance to pregnant: reality and challenges / Atendimento humanizado às gestantes: realidades e desafios / Atención humanizada a las gestantes: realidades y desafíos

Camila Almeida Silva, Luana Carla Lima de Almada, Zilma Nazaré Souza Pimental, Tayana de Sousa Neves, Tainã da Silva Lobato, Andréa Reni Mendes Mardock

Resumo


Objetivo: avaliar como é realizado o atendimento às gestantes pelos profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade de Santarém - PA, considerando as orientações do Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento (PHPN), tanto na visão da clientela quanto na dos profissionais. Metodologia: adotou-se a abordagem quantitativa, qualitativa, descritiva e observacional, sendo a análise temática, combinada a princípios da hermenêuti­ca e dialética, utilizada no tratamento e inter­pretação dos dados. Participaram 56 pessoas, das quais 50 são gestantes e 6 são profissionais. Resultados: ainda que a clientela das UBS tenha qualificado majoritariamente o atendimento em “bom” e “ótimo”, percebeu-se que o significado de “humanização” ainda é conflituoso para as participantes, além disso, são recorrentes queixas quanto a falta de infraestrutura e de educação continuada. Conclusão: a falta de esclarecimento sobre o conceito “humanização” - de recursos materiais e humanos – limitam, na prática, a ofertada do atendimento humanizado às gestantes.

Descritores: Gestante. Atenção Básica. Humanização.


Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: Princípios e Diretrizes. 1ª ed. Brasília: Editora MS; 2011.

Costa AM. Desenvolvimento e implantação do PAISM no Brasil. In: Giffin K, Costa SH, editors. Questões da Saúde Reprodutiva. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 1999. p. 319-336.

Serruya SJ, Lago TG, Cecatti JG. O panorama da atenção pré-natal no Brasil e o Programa de Humanização do Pré-natal e Nascimento. Rev. Bras. Saúde Matern. Infantil 2004; 4 (3): 269-279. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292004000300007

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria Executiva. Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento. Brasília: MS; 2002. nº43. Série C. Projetos, Programas e Relatórios.

Rios IC. Humanização: a essência da ação técnica e ética nas práticas de saúde. Rev. Bras. Educ. Médica [Internet]. 2009; 33(2):253-261. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022009000200013

Serruya SJ, Lago TG, Cecatti JG. O Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento do Ministério da Saúde no Brasil: resultados iniciais. Cad. Saúde Pública [Internet].2004; 20 (5): 1281-1289. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2004000500022

Teixeira E. As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 8ª Ediçao. Petrópolis, 2011.

Oliveira SL. Tratado de Metodologia Científica: Projetos de pesquisas, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. 2ª. ed. São Paulo, 1999.

Bardin L. Análise de conteúdo. 2ª. ed. São Paulo, 2011.

Minayo, MCS. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 4ª.ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco; 1996.

Matos GC, Demori CC, Escobal APL, Soares MC, Meincke SMK; Gonçalves KD. Groups of pregnant women: space for a humanization of labor and birth. J. res.: fundam. care. [Internet]. 2017. abr./jun. 9(2): 393-400. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/5057/505754109014_5.pdf

Foster LB, Oliveira MA de, Brandão SMOC et al. Reception in the humanization molds applied to the pre-natal nursery work process. J Nurs UFPE on line. [Internet]. 2017;11(Suppl. 11):4617-24. Disponível em: 10.5205/reuol.11138-99362-1-SM.1111sup201710

Ferreira J. O Programa de Humanização da Saúde: dilemas entre o relacional e o técnico. Rev. Saúde e Sociedade 2005;14 (3): 111-118. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902005000300007

Serruya SJ, Lago TG, Cecatti JG. Avaliação preliminar do programa de humanização no pré-natal e nascimento no Brasil. Rev. Bras. Ginecologia. Obstetetrícia. [internet]. 2004 Ago [acessado 2017 Dez 6]; 26(7) [cerca de 8 p.]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-72032004000700003&script=sci_abstract&tlng=pt

Mongiovil VT, Anjos RCCBL, Soares SBH, Falcão TML. Reflexões conceituais sobre humanização da saúde: concepção de enfermeiros de Unidades de Terapia Intensiva. Rev. Bras. Enfermagem [Internet]. 2014; 67(2): 306-311. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/0034-7167.20140042

Medeiros FA, Araújo GCS, Albuquerque AAB, Costa IC. Acolhimento em uma Unidade Básica de Saúde: a satisfação do usuário em foco. Rev. Salud Pública [Internet]. 2010; 12(3): 402-413. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/rsap/v12n3/v12n3a06.pdf

Martins AF, Paula AP. Avaliação dos indicadores de processo do programa de humanização no pré-natal e nascimento. Rev Enferm UFPI [Internet]. 2014; 3(1):39-45, jan-mar, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.26694/reufpi.v3i1.1156

Rocha RS, Silva MGC. Assistência pré-natal na rede básica de Fortaleza-CE: uma avaliação da estrutura, do processo e do resultado. Rev. Bras. de Promoção a Saúde [Internet]. 2012; 25(3): 344-355. Disponível em: http://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/2265/2492

Versiani CC, Barbieri M, Gabrielloni MC, Fustinoni SM. The meaning of humanized childbirth for pregnant women. j. Res. fundam. care. [Internet]. 2015. jan./mar. 7(1):1927-1935. Disponível em: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2015.v7i1.1927-1935

Brasil. Ministério da Saúde(MS). Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Cadernos RH Saúde. [Internet]. 2006; 3(1). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_rh.pdf




DOI: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7310-16

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

Indexado em:




Apoio: