Information about the hospital in the neonatal intensive therapy unit: perspective of the parents / Informações sobre a alta hospitalar na unidade de terapia intensiva neonatal: perspectiva dos pais / Información sobre alta hospitalaria..

Mariana Domingos Saldanha, Taniely da Costa Bório, Ruth Irmgard Bärtschi Gabatz, Viviane Marten Milbrath, Jéssica Cardoso Vaz

Resumo


Objetivo: conhecer a percepção dos pais dos neonatos acerca da internação e das informações recebidas na alta hospitalar pela equipe de enfermagem na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Metodologia: trata-se de uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa, sendo utilizadas entrevistas semiestruturadas. As informações foram coletadas no primeiro semestre de 2017, após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa sob Certificado de Apresentação para Apreciação Ética de número 6521277.9.0000.5316. Resultados: a partir da análise de conteúdo, elaboraram-se três principais categorias, respectivamente: Expectativas dos pais e familiares com a internação na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal; Informações recebidas para alta da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal; Informações não fornecidas consideradas importantes pelos pais. Conclusão: a realização desse estudo permitiu compreender como funciona a passagem de informações pelos profissionais, bem como a necessidade de mais pesquisas sobre a alta hospitalar da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, por ser um tema muito importante para garantir a melhora continua da qualidade da assistência de enfermagem e o preparo dos pais para cuidar de seus filhos após a alta da unidade.

Descritores: Recém-nascido. Unidades de Terapia Intensiva Neonatal. Alta do Paciente. Profissionais de Enfermagem.


Texto completo:

PDF

Referências


Antunes BS, Paula CC, Padoin SMM, Trojahn TC, Rodrigues AP, Tronco CS. Internação do recém-nascido na unidade neonatal: significado para a mãe. Rev. RENE. [internet] 2014; 15(5): 796-803. Disponível em: http://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/11322/1/2014_art_bsantunes.pdf

Silva PLN, Barbosa SL, Rocha RG, Ferreira TN. Experience and needs of parents from premature neonates hospitalized in a neonatal intensive care unit. Rev. enferm. UFPI. [internet] 2018; 7(1): 15-9. Disponível em: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7115-19

Cartaxo LS, Torquato JA, Agra G, Fernandes MA, Platel ICS, Freire MEM. Experience of mothers in neonatal intensive care unit. Revista de enfermagem da UERJ. [internet] 2014; 22(4): 551-7. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v22n4/v22n4a19.pdf

Schaefer MP, Donelli TMS. Intervenções facilitadoras do vínculo pais- bebês prematuros internados em UTIN: uma revisão sistemática. Avances em psicologia latinoamericana. [internet] 2017; 35(2): 205-18. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/apl/v35n2/1794-4724-apl-35-02-00205.pdf

Schmidt KT, TerassI M, Marcon SS, Higarashi IH. Practices of nursing staff in the process of preterm baby hospital discharge. Rev. bras. enferm. [internet] 2013; 66(6): 833-9. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672013000600004

Silva LG, Araújo RT, Teixeira MA. O cuidado de enfermagem ao neonato pré-termo em unidade neonatal: perspectiva de profissionais de enfermagem. Rev. eletrônica enferm. [internet] 2012: 14(3): 634-43. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/revista/v14/n3/pdf/v14n3a21.pdf

Marski BSL, Custodio N, Abreu FCP, Melo DF, Wernet M. Alta hospitalar do recém-nascido prematuro: experiência do pai. Rev. bras. Enferm. [internet] 2016; 69(2): 221-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v69n2/0034-7167-reben-69-02-0221.pdf

Minayo MCS. O Desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. 30a ed. São Paulo; Hucitec, 2016. p.108.

Marchetti D, Moreira MC. Vivências da prematuridade: a aceitação do filho real pressupõe a desconstrução do bebê imaginário? Revista psicologia e saúde. [internet] 2015; 7(1): 82-9. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2177-093X2015000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Rabelo MZS. A alta hospitalar do bebê de muito baixo peso e o cuidado no domicílio. Universidade Estadual do Ceará, 2012. p.114.

Soares JPO, Novaes LFG, Araújo CMT, Vieira ACC. Amamentação natural de recém-nascidos pré-termo sob a ótica materna: uma revisão integrativa. Rev. CEFAC. [internet] 2016; 18(1): 232-41. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-021620161819215

Pennafort VPS, Queiroz MVO, Nascimento LC, Guedes MVC. Rede e apoio social no cuidado familiar da criança com diabetes. Rev. bras. Enferm. [internet] 2016; 69(5): 912-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v69n5/0034-7167-reben-69-05-0912.pdf

Otaviano FP, Duarte IP, Soares NS. Assistência de enfermagem ao neonato prematuro em unidades de terapia intensiva neonatal. Saúde Foco. Faculdade Santo Agostinho. [internet] 2015; 2(1): 60-79. Disponível em: http://www4.fsanet.com.br/revista/index.php/saudeemfoco/article/download/296/845

Diaz ZM, Fernandes SMGC, Correia S. Dificuldades dos pais com bebês internados numa Unidade de Neonatologia. Referência. [internet] 2014; 4(3): 85-93. Disponível em: http://dx.doi.org/10.12707/RIII12134

Benzies KM, Vibhuti X, Aziz K, Isaranuwatchai W, Palacio-Derflingher L, Escócia J, et al. Family Integrated Care (FICare) in Level II neonatal intensive care units: studyprotocol for a cluster randomized controlled trial. Trials. [internet] 2017; 18(1):467. Disponível em: https://doi.org/10.1186/s13063-017-2181-3

Mendes GVS, Rocha SS, Sales JCS, Araújo OD, Araújo LO. Kangoroo care method at neonatal intensive care unit. Rev. enferm. UFPI. [internet] 2015; 4(4): 68-74. Disponível em: https://doi.org/10.26694/reufpi.v4i4.4958

Bernardo G, Svelto M, Giordano M, Sordino D, Riccitelli M. Supporting parents in taking care of ther infants admitted to a neonatal intensive care unit: a prospective cohort pilot study. Ital. J. Pediatr. [internet] 2017; 43(1):36. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1186%2Fs13052-017-0352-1

Casavant SG, Judge M, McGrath J. Influence of anthropometric parameters on breastmilk provision in preterm infants. Appl. Nurs. Res. 2017; 38: 45-50. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.apnr.2017.09.007

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Banco de leite humano: funcionamento, prevenção e controle de riscos. Brasília, 2008.

Santos ND, Thiengo MA, Moraes JRMM, Pacheco STA, Silva LF. Empowerment of premature newborns’ mothers in the context of hospital care. Revista de enfermagem da UERJ. 2014; 22(1): 65-70. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v22n1/v22n1a10.pdf




DOI: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7422-28

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

Indexado em:




Apoio: