The nursing attendance to the patient with neuromyelitis optica: a report / Assistência de enfermagem a paciente com neuromielite óptica: relato de experiência / Asistencia de enfermería al paciente con neuromielitis óptica...

Priscila Martins Mendes, Samya Raquel Soares Dias, Cláudia Daniella Avelino Vasconcelos Benício

Resumo


Objetivo: relatar a experiência vivenciada na assistência de enfermagem à paciente com neuromielite óptica. Metodologia: trata-se um relato de experiência, vivenciado na graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Piauí, durante estágio realizado em um hospital público de grande porte, em Teresina-Piauí, no período de março a abril de 2015. Resultados: a prática hospitalar na clínica especializada em neurologia proporcionou às acadêmicas o contato com diversas doenças até então atípicas no ensino prático, em especial a neuromielite óptica. Para sistematização da Assistência de Enfermagem do caso foram elencados os diagnósticos de enfermagem de Mobilidade física prejudicada, Intolerância à atividade, Risco de Constipação, Comunicação verbal prejudicada, Risco de quedas, Baixa autoestima situacional e Ansiedade, conforme a Taxonomia Nanda. Bem como, foram elencadas intervenções da Nursing Interventions Classification para cada diagnóstico. Conclusão: espera-se que este relato estimule o pensamento crítico sobre as necessidades da neuromielite óptica, para que a enfermagem se utilize de uma visão individualizada e holística desse indivíduo, visto as características negativas e limitantes que a doença acarreta no paciente.

Descritores: Neuromielite Óptica. Neurite Óptica. Mielite Transversa. Cuidados de Enfermagem.


Texto completo:

PDF

Referências


Cabezas IL, Llano MC, Rol GP. Neuromielitis óptica. Principales diferencias con la esclerosis múltiple. An Med Interna (Madrid). [internet] 2008; 25: 294-296. Disponível em: http://scielo.isciii.es/pdf/ami/v25n6/revision1.pdf

Gasparetto EL, Lopes FCR. Avanços em neuromielite óptica. Radiol Bras. [internet] 2012;45(6):IX. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-39842012000600003

Neri VC, Mendonça TVD, Alvarenga RMP. Neuromielite Óptica (Doença de Devic): Relato de Caso e Revisão dos Critérios Diagnósticos. Revista Científica da FMC. [internet] 2010;5(1). Disponível em: http://www.fmc.br/revista/V5N1P15-24.pdf

Lennon VA, Wingerchuk DM, Kryzer TJ, Pittock SJ, Lucchinetti CF, Fujihara K, et al. A sérum autoantibody marker of neuromyelitisoptica: distinction from multiple sclerosis. Lancet. [internet] 2004; 364. Disponível em: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(04)17551-X

Bibiano AMB, Veloso JS, Silva Junior WM. Capacidade functional na doença de Devic: relato de caso. Rev Neurocienc [internet] 2015;23(4):603-608. Disponível em: http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2015/2304/relato_de_caso/1049rc.pdf

Vanotti S, Cores EV, Elzaquirre B, Melamud L, Rey R, Villa A. Cognitive performance of neuromyelitisoptica patients: comparison with multiple sclerosis. ArqNeuropsiquiatr. [internet] 2013;71(6):357-361. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0004-282X20130038

Cofen. Resolução COFEN 358/ 2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos e privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e dá outras providencias. COFEN, 2009.

Diagnósticos de Enfermagem da NANDA: definições e classificação 2012-2014/ NANDA International; tradução de Regina Machado Garcez. Porto Alegre: Artmed; 2012.

Perroca MG. Instrumento de Classificação de Pacientes de Perroca: validação clínica [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem; 2000. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/83/83131/tde-16112006-160645/publico/Marcia_Perroca_DO.pdf

Sampaio MJ, Garrido A, Oliveira MJ, Vilan A, Almeida R, Cunha J. Mielite Transversa Aguda. Nascer e Crescer. [internet] 2011;20(1). Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/nas/v20n1/v20n1a07.pdf

Jarius S, Wildemann B. The history of neuromyelitis optica. J neuro inflamm. [internet] 2013;10(8):1-12. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1186%2F1742-2094-10-8

Peixoto I, Ermida V, Torres A, Aparício MI, André R, Caldas J. Doença de Devic. Acta Med Port. [internet] 2010;23(2):263-66. Disponível em: https://www.actamedicaportuguesa.com/revista/index.php/amp/article/viewFile/607/291

Gouveia MTO, Araújo PRS, Monteiro AKC, Monteiro AKC, Avelino FVSD. The implementation of nursing diagnosis in a intensive care unit. REUFPI. [internet] 2012;1(3):222-5. Disponível em: https://doi.org/10.26694/reufpi.v1i3.772

Silva CFM, Motta E, Ribeiro EDLM, Santos WJ, Chaves RRG. Systematization of nursing care: perception of nurses. REUFPI. [internet] 2015;4(1):47-53. Disponível em: https://doi.org/10.26694/reufpi.v4i1.2063

Barbosa AS, Studart RMB. Nursing diagnostics in patients hospitalized in a high complexity postoperative unit. REUFPI. [internet] 2017;6(3):18-23. Disponível em: https://doi.org/10.26694/reufpi.v6i3.5893

Silva ACS, Pereira AHCC, Dias SRS, Figueiredo MLF, Costa JP. Diagnosis and nursing interventions on elderly mastectomized women. REUFPI. [internet] 2018; 7(2):58-63. Disponível em: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7258-63




DOI: https://doi.org/10.26694/2238-7234.7473-77

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

Indexado em:




Apoio: